sexta-feira, março 30, 2007

"ALBA," DE EZRA POUND


ALBA


Quando o rouxinol pra sua amada

Canta o dia todo e a madrugada

Com minha amiga deito de mãos dadas

Sob folhas,

Sobre flores,

Até que da torre o sentinela

Berra:

“De , malandro, Vai!

Que eu vejo a jovem

Luz

E a manhã

Vem”





ALBA


When the nightingale to his mate

Sings day long and night late

My love and I keep state

In bower,

In flower,

Till the watchman on the tower

Cry:

“Up! Thou rascal, Rise,

I see the white

Light

And the night

flies”


Tradução: Rodrigo Garcia Lopes, 1985

3 comentários:

Douglas Diegues disse...

Muito Boa sua traduzione, Rodrigone! Traduzione antikareta. Traduzione que non nos deixa em Bola! Gosto muito de entrar aqui e reler coisas lidas e encontrar coisas inéditas! Abrazom tamanho kataratas del iguazú.

Anônimo disse...

Um outro estudo:


Alvorada

Quando o canário canta ao seu amor
o dia inteiro e a noite inteira, então
com minha amada nos deitamos por
sobre as raízes de um pinheiro, em chão

florido, até que o sentinela grita
de cima da varanda: Hei!, levanta
vadio! que surge a alva luz bendita
e a noite já recolhe a sua manta.


(Rodrigo, não nos conhecemos pessoalmente, mas temos amigos em comum. Conheça meu blog: www.rodolfojaruga.blogspot.com . Lá Vc encontrá minhas traduções dos cantos 1, 14 e 15 dos Cantares de Pound, o primeiro deles em oitavas reais.

Saludos, com a inequívoca mão estendida para o diálogo. Rodolfo.)

Anônimo disse...

l