domingo, outubro 22, 2006

DIÓGENES, O CÃO















Há alguns anos eu, Maurício, Beth e Yuri compusemos esta canção:
DIÓGENES, O CÃO


“Saia do meu sol, Alexandre Magno,
Deixe-me na minha barrica
Ou lhe mando um raio
Desferido de meus poderes espaciais.

Eu sou o primeiro cínico da Terra,
O primeiro signo,
O primeiro cigano.

Meu nome é Diógenes
Eu vim de longe
De onde a gente vive o hoje.

Vai tirando o cavalinho da minha chuva
Pare de ficar secando a minha uva
O seu poder não cabe numa luva

Lambo aos que me dão
Ladro aos que não dão
E mordo os maus

Meu nome é Diógenes
Eu vim de longe
De onde a gente vive o hoje.





Um comentário:

Mário Bortolotto disse...

Queremos ouvir. Grande abraço.