terça-feira, dezembro 25, 2007

FELIZ 2008

Oração à Brisa


brisa viva

que me queima

e teima em

sempre-vivas


brisa brisa

que me pulsa

brisa que me blusa

e nos abraça


brisa que reprisa

o vídeo das manhãs

beijo alisa a língua

brasa agora


comemora

obra-prima

que nos transa

que sabe dar bis

sem repetir-se


brisa nossa

nos evoca

sem pressa: bliss

enquanto possa


mínimos gestos

que nos mostram

a vida que nos toca

2 comentários:

Vanderley disse...

caro Rodrigo, não leio muito blogs, mas sou um sortudo. entrei nesta página pela do Ademir e me deparei um um dos mais lindos poemas que li ultimamente. um poema perfeito, com o que há de mais refinado na arte de lapidar versos. parabéns... e também pela folhas da relva, dos versos que falam conosco.

vanderley mendonça (editor da amauta e do demónio negro)

katherine funke disse...

suave como a brisa, começar 2008 querendo o novo. bons ventos para você.