domingo, janeiro 21, 2007

PENSAGEM




Árvore entre raios: arvora-se
um ruído. Tudo claro, lindo, ido.

A língua, mente, sente seu gosto:
tudo o que toca é verdade.

O discurso da tarde e seu susto
se cola ao sentido, seu duplo aqui

onde repousa e se excita, visiva,
sua clareza intensiva.



(poema de Nômada, 2004)

3 comentários:

Caiocito disse...

As vezes passamos mal e vomitamos poesia em cima dos outros?

virna disse...

rodrigo,
blog linkado! ainda não conhecia o estúdio realidade. novidades boas por aqui, saiu o livro do morgan em dezembro. está de férias no brasil ou já voltou?
um beijo

Nelson Magalhães Filho disse...

Este blog cada dia mais maravilhoso. Poemas "em brasa".