segunda-feira, maio 17, 2010

UM POEMA DE MARCOS LOSNAK




Marcos Losnak, grande amigo e parceiro. Prosador inédito em livro, poeta, crítico de literatura. Um dos editores da Coyote, junto comigo e Ademir Assunção. Nos conhecemos há muito, muito tempo. É dele este poema, do seu livro (ótimo) Um Urso Correndo no Sótão. Parabéns pelo seu dia, Losnakón! 



UM PEIXE SEM LAGO


Um homem sozinho
é um lago sem peixes

Uma tristeza quase alegre
procurando um campo de papoulas
para alimentar suas dores

Muito pequeno para o que sente
mastiga os insetos mais venenosos
como se acendesse uma vela aos pés de deus

Uma cabeça lançada ao desvario
que extrai de si mesma longos membros
para sobreviver no breu das margens

É o mais feliz dos animais
vive onde o álcool purifica as feridas
onde o amor é uma febre
que se cura com drogas e delírios

Um homem sozinho
não precisa falsificar suas dores
elas já nascem com ele
como capim onde há terra
como merda onde há gente

Ele sabe que é tarde
quando cachorros lambem seus pés
quando os cabelos tornam-se espessos
besuntados pelo óleo do absurdo

Sabe quando deve morrer
retirar-se de onde nunca esteve
e nunca desejou pensar
e mesmo assim
manteve os olhos florescidos de sinceridade

Seu coração deseja o deserto
sua felicidade não é a felicidade de todos
é a simples felicidade impossível
de um único um

Um homem sozinho
é um peixe sem lagos




Marcos Losnak

Um comentário:

vinícius alves disse...

muito bom, mesmo, rod. o cara tá merecendo um livro. a bernúncia taí pra isso.

amprex do vini

p.s. ah, meus parachoques ao Losnak.

v.