domingo, junho 07, 2009

20 ANOS SEM LEMINSKI

Como deixar passar esta data triste em branco? Há 20 anos exatamente falecia, em Curitiba, o grande Paulo Leminski. É impressionante como o tempo passa. Todas as cenas de 20 anos atrás estão muito, muito vivas. E imaginar que ele tinha apenas 44 anos quando morreu, e com uma obra que o coloca entre os grandes da literatura do século 20, sem qualquer exagero.

Insubstituível.

Um abraço para você, Leminski, esteja aonde estiver. Você faz uma falta danada nestes tempos de caretice e poesia chata para caralho.


http://4.bp.blogspot.com/_oLb9aDzNHu0/SS9f3FHOimI/AAAAAAAABjE/2t5qNtSfZdo/s400/leminski.png



ICEBERG



Uma poesia ártica,

claro, é isso que eu desejo.

Uma prática pálida,

três versos de gelo.

Uma frase-superfície

onde vida-frase alguma

não seja mais possível.

Frase, não, nenhuma.

Uma lira nula,

reduzida ao puro mínimo,

um piscar do espírito,

a única coisa única.

Mas falo. E, ao falar, provoco

nuvens de equívocos

(ou enxame de monólogos?)


Sim, inverno, estamos vivos.



(Paulo Leminski)


4 comentários:

Neuzza Pinhero disse...

Poxa, Rodrigo, alguma coisa em mim deve ter se manifestado no nível inconsciente. Hoje falei de BASHÔ
no Spirituals, desde ontem veio um impulso de ler haicais, fazer haicais. Tristeza...
bj

Elenilson Nascimento disse...

SELEÇÃO DE POETAS PARA A COLEÇÃO LITERATURA CLANDESTINA – 2009
Estamos selecionado um novo grupo de autores para o lançamento de uma trilogia com poemas, contos e crônicas. E o primeiro volume – com poemas – já está sendo organizado. Vamos unir forças e através da ARTE mostrar que o nosso país ainda tem solução (*tem alguém aí que ainda acredita?), pois nós não fazemos ARTE para adestrar macacos! A LITERATURA precisa de um sistema mais organizado, precisamos de Políticas Públicas que prezem pela formação de leitores e ter uma visão mais profissional, porque fazer um livro não é um processo banal. Então, erguei-vos, caros poetas!

Para mais informações CLIQUE AQUI:
http://literaturaclandestina.blogspot.com/2009/06/colecao-literatura-clandestina-2009.html

Cássio Amaral disse...

METAFÍSICO

rasgo do infinito
além fogo dos deuses
no brilho stellar.

Cássio Amaral.

Em 2004 estive no Perhappiness. A mesa debatia transgressão. Na mesa Lourenço Mutarelli, Joca Wolf, Joca Reiners Terron uma masturbação danada pra definir transgressão. Não aguentei saí e fui alí no Lago da Ordem num bar, pedi uma cerveja e levantei meu bride pro Tio Leminski. Queria muito que ela estevesse comigo, falando e falando e falando uma única vez. As lágrimas vieram.
Hoje bom ver que ele ainda vive em você e em nós. E nunca morrerá.

Um abraço de luz.

Cosmunicando disse...

disse tudo: "faz uma falta danada nestes tempos de caretice e poesia chata para caralho."...