sexta-feira, janeiro 02, 2009

AMÉRICA # 2



O amor é mais além, e nós -- eternas presas da beleza.


A manhã acaricia a manhã nas ilhas.


Olhos cintilam, como Roma em chamas.


Metáforas são como vertigens, trips, Trieb, tabi.


Aqui não interessa o quê, não interessa quando.


Só interessa isso.


Cidades ardem na memória como se nunca.


"O futuro foi ontem". Delírio de Dilúvio.


O tempo, droga, draga nossas rugas.


Mas ressuscitamos.


Somos presas da beleza, ela é tudo que nos resta.


Um rosto rústico, um giro rápido, um riso ríspido.


Os corpos dos náufragos viram areia, conchas, constelações -- poeira.


A poesia é filha do exílio.


Beijaremos o infinito?


O amor é mais além, a vida é aqui.






Rodrigo Garcia Lopes

Um comentário:

celia musilli disse...

Rodrigo, este é mais um belo poema, entre tantos. Espero te encontrar em breve. Feliz Ano-Novo!